14 de fev de 2007

E não é só aqui...

Fora da província tem coisa acontecendo.

Na semana passada o prefeito Kassab expulsou, aos berros e empurrões, um aposentado que ousou manifestar seu descontentamento com uma decisão tomada pelo prefeito. Kassab, possesso, gritava que ali, num equipamento da saúde municipal, não era local para manifestações, e que o "vagabundo" respeitasse o os doentes.

Que história é essa? Não pode fazer manifestação? E o que o Kassab estava fazendo por lá, medindo a pressão? Ele estava fazendo manifestação, a favor dele mesmo, em hora de expediente. Isso pode? Só não pode um dos presentes discordar?

Depois inventaram que o pobre agredido foi para lá só para fazer a manifestação. Além de ser mentira, fica a questão que ninguém respondeu: o Kassab estava lá de passagem? Ou foi somente para fazer uma manifestação?

Me perdoem os paulistanos, mas estão bem mal de prefeito, esse saiu pior que o nosso! Só sei que os dois são amigos do Serra, será que são amigos entre si?

Sei que nosso prefeito não gosta que falem mal dele, bem pode. Lembra o Kassab.

A Isto É traz uma entrevista com Cláudio Lembo, homem surpreendente, que diz que esse tipo de política do PFL já está na hora de acabar, o mesmo deve valer para os políticos sem partido.

Já é hora de entender que a manifestação, poder se manifestar livremente, é um dos direitos básicos do cidadão e da cidadania.

Tentar coibir isso é deixar claro um perfil autoritário do tipo daquele que, em campanha, quer se expor para conseguir os votos para governar e no governo quer se esconder para não arranhar a imagem que tornou pública para conseguir os votos, sem que ninguém fosse implorar para que assim o fizesse.

Em minha casa político desse tipo não entra mais, a não ser se, na minha ausência, pular o muro e arrombar a porta. Há os que são capazes disso.

Nenhum comentário: