11 de dez de 2006

Resistência passiva já!

Recebi um email que me sinto na obrigação de reproduzir aqui por sua clareza e sinceridade do autor.

Nem tudo estará perdido enquanto tivermos pessoas com esse tipo de postura diante das questões que envolvem justiça social.

Muito obrigado.

Segue o email:

Resistência passiva já!

Caro Bruno.

O boicote a impostos é a única arma de que o povo pode lançar mão. Lembro que a independência americana foi motivada pelo abuso na cobrança de impostos. O mesmo motivo foi o combustível da Inconfidência mineira. No estado de direito o povo tem o dever de se levantar contra leis e procedimentos injustos de seus governantes. A resistência passiva é a grande arma moral do povo.

O estado lastimável a periferia de Bauru, com suas ruas esburacadas e sem pavimentação merece um levante geral da população. O povinho sofre com doenças alérgicas e infecciosas provocadas pela poeira [alguns até tem seu direito de ir e vir prejudicado pelo estado de suas ruas. - conheço gente que, quando chove, não pode chegar em casa de automóvel] enquanto certas ruas de bairros burgueses foram recapeadas duas vezes nos últimos quatro anos (!!). E Tuga, que em seu discurso de campanha (especialmente a de 2000, onde fui testemunha ocular) sempre fez apologia do asfalto como solução para grande parte dos problemas de saúde da população, parece que esqueceu seu discurso e seu passado. Espero que não seja sinais iniciais de um Alzheimer em progresso.

Abraço!

Um comentário:

Douglas Cirilo disse...

Não ao boicote!

Bruno e colegas blogueiros,

Não acredito que o boicote aos tributos ajude a resolver os problemas de nossa cidade.

Acredito que a intenção é pressionar o poder público a esclarecer a população dos problemas ocorridos na administração municipal, mas não acredito que essa ferramenta traga alguma solução, fazer isso só prejucará nosso municipio.

Espero que pensem em outra alternativa de pressão.

Abraços