14 de dez de 2006

Manobrinha

Talvez nem merecesse comentários essa manobrinha que o cunhado e o prefeito abúlico estão fazendo para interferir na eleição da mesa da câmara de vereadores. O prefeito que acha que deve manter o homem cujo nome é plural (de que mesmo?) por ser de sua exclusiva competência a nomeação, no que está certo, dá-se ao desplante de fazer manobras para tentar escolher um presidente da câmara que lhe seja submisso. É isso que ele deve considerar democrático.

Mas o que quero comentar é que acho que há mais coisa por trás dessa repentina volta do cunhado à câmara. Há outra manobra, mas não vão me enganar: eles querem que eu pense que a saída do cunhado é definitiva e pague a conta de água. Não vou pagar enquanto não for nomeado um presidente efetivo para o DAE e que tenha a minha confiança e o meu respeito. E acho que isso não vai ocorrer nesse governo, é quase certeza, égua arisca só anda com égua arisca.

Nenhum comentário: