12 de dez de 2006

Deu no Bom Dia Bauru

Para Câmara, gestão Tuga é marcada por paralisia

Vereadores criticam falta de iniciativa do Executivo nos últimos dois anos


Se havia alguma dúvida da insatisfação dos vereadores com o governo Tuga Angerami (sem partido), elas foram eliminadas ontem. E para não restar qualquer incerteza, os parlamentares referendaram as duras palavras da vereadora Majô Jandreice (PC do B), que em artigo publicado no BOM DIA na semana passada, entre outras coisas, classificou os dois anos da administração Tuga de “apática, inexpressiva, amarrada e sem entusiasmo entre secretarias e equipe”. Majô questionou também “onde estava e quem era o prefeito”.

“Todos esperávamos um governo realizador e o sentimento hoje é de frustração”, disse Benedito da Silva (PSDB). “Se a vereadora Majô, que apoiou o governo, pensa assim, imagine o que passa na cabeça da oposição”, concluiu.

José Carlos Batata (PT) também citou o artigo da vereadora para embasar suas críticas.

“A prefeitura, nesses dois anos, não se dispôs a ajudar a população e resolver os problemas básicos. Quase nada foi feito”, disse, citando como exemplos os buracos que tomaram conta das ruas da cidade. “Cada lugar que você vai encontra um buraco maior.”

Paulo Madureira (PP) questionou ainda o artigo de Tuga, publicado no domingo no BOM DIA, no qual ele elencou diversas realizações da sua administração

“Se aquilo que o prefeito escreveu foi realmente realizado, ainda assim foi feito muito pouco. É decepcionante e deixa entristecido a todos nós”, lamentou, na tribuna. “A marca desse governo é o marasmo. A situação atual é pior do que a encontrada há dois anos. Isso é ainda mais grave”, acusou.

Até o líder informal do prefeito, João Parreira (PSDB), não poupou o governo.

“Essa administração ainda está devendo muito para a cidade. É compreensível dizer que não há dinheiro para grandes obras, mas é possível fazer muito mais do que foi feito.”

Através da assessoria de imprensa, Tuga disse que não iria comentar as declarações dos vereadores.

Nenhum comentário: