16 de nov de 2006

Coluna do meio

Dia do Orgulho Bambi

Aproveitando o feriado do meio da semana a turma da Nações, sob os auspícios do erário municipal (será que dessa vez fizeram empenho?), resolveu comemorar o Orgulho Bambi e reuniu a bambaiada toda para comemorar o possível quarto título do São Paulo Futebol Clube.


Convite patrocinado

Conseguiram patrocínio para o convite, parece que de um filhinho da mamãe que é solidário com a patotinha, que por sinal acabou por não comparecer ao evento. Dizem está proibido de sair de casa pois sua mamãe está com medo de que algum menino mais velho aproveite de sua (dele) fragilidade e lhe aplique uma sova.



Sem preconceito

O convite foi enviado a todos os bambis, sem distinção de raça, cor, crença, opção ideológica, idade, sexo ou mesmo preferência sexual. A presença foi grande, o barulho dos gritinhos de alegria e surpresa foram ensurdecedores.




Festa de arromba (êpa!)

Os bambis se divertiram a valer, se esbaldaram, correram, pularam, cantaram, fizeram karaokê, dançaram, rebolaram, brincaram de pega pega, jogaram peteca, fizeram de um tudo, menos beijar na boca.


Liberou geral

Até os mais tímidos soltaram o gracioso, leve e delicado ser que havia enrustido dentro deles, liberaram suas fantasias e desfilaram saltitantes, fantasiados ou com roupinhas sumárias, que mal escondiam os delicados bumbunzinhos.







Ambiente familiar

Os mais velhos cuidaram dos mais novos como se fossem seus sobrinhos. Sempre havia um bamvéio de olho em qualquer bambino que estivesse deslocado ou se afastasse cansadinho de tanto pular e brincar. Os tios bambis pagaram algumas rodadas de refrigerantes e sorvetes para os jovenzinhos que já estavam suados de tanto saracotear e rebolar.








Isolados

Mesmo assim houve alguns que comemoraram isolados, ou por timidez ou por soberba, coisa rara no meio bambístico de Bauru, com certeza eram os mais tristes e, deslocados, acabaram indo embora mais cedo.



Tristes lembranças

Alguns lembraram de outras festas que acabaram em tragédia como, por exemplo, aquela em que a maioria dos bambis morreu na praia. Mas dessa vez a festa terminou bem, fora alguns joelinhos esfolados e algumas unhadas nas costas...





Abusos

Alguns, mais libertinos, geralmente bambis mais idosos, que não sabem gozar (?) da liberdade do ambiente, abusando dos bambinos, cometeram alguns desatinos, atentados ao pudor e aos bons costumes.




Enquadrados

Mas a polícia ambiental agiu de pronto e imobilizou os mais afoitos que queriam aproveitar do evento e praticar suas mais loucas vontades e realizar desejos incompatíveis com o local e o ambiente.



Enquanto isso...
Uma estranha no ninho

Ninguém conseguiu explicar a presença de uma conhecida e gorda traíra, que circulava com intimidade e desenvoltura entre os organizadores e patrocinadores do evento. Parecia a dona da festa!



Nenhum comentário: