30 de nov de 2006

Coluna do meio


De cabelos em pé

Chegou ao nosso conhecimento que o prefeito ficou estarrecido com as despesas de pequena monta registradas pela secretaria da cultura. Se o prefeito, que já tinha informações, ficou assustado, imaginem nós que não sabíamos de nada e nem jamais tínhamos visto o prefeito com os cabelos de pé!




Medo de cara feia

Dizem que é só citar esse assunto no terceiro andar do Palácio das Cerejeiras que todo mundo faz cara feia. Mas é bom saberem lá, e em qualquer lugar, que não temos medo de cara feia. Pois que façam as caras feias que quiserem, desde que acabem com as coisas feias que estão sendo feitas nas suas caras.



E como não temos rabo preso com ninguém vamos publicar aqui alguns documentos sobre os quais pairam dúvidas quanto a autenticidade ou sobre a justeza dos gastos alegados.


Boca de urna?

No cheque abaixo a dúvida é quanto a data, pois se bem notarem ele foi emitido em 2004, pré datado para janeiro de 2005. Teria sido para pagar boca de urna? Note-se que, para disfarçar, foi usado talão de Mirassol, progressista cidade da região de São José do Rio Preto.



Ração e remédio?

Esse outro cheque é ainda mais escandaloso, é de 2003, de Santos, e se refere a pequenas despesas, só que despesas domésticas, aparentemente de um criador de canarinhos.





Benhê, paga uma cuba?

A nota fiscal apresentada então é um absurdo. É de 2003 também, de uma lanchonete de Palotina, Paraná. Até aí tudo bem, mas o inacreditável é o que foi pago e que consta da nota, nenhum dos bambis da Nações teria feito uso do programa discriminado na nota. Além disso onde é que já se viu um deles se hospedar num quarto de 10 reais?





Enquanto isso...
Identificado o agressor

Um desses animais nocivos que empesteiam a administração municipal, no caso em questão uma conhecida barata cascuda, que foi abatida em pleno vôo enquanto rodeava os gabinetes do Palácio das Cerejeiras, participou de uma sessão de reconhecimento para apontar seu agressor. Sem pestanejar ela afirmou que foi atingida pelo Chinelo.





Um comentário:

Pedro e Lara disse...

Já está mais do que na hora de nosso prefeito se manifestar sobre esse assunto da cultura. As acusações são graves e não se restringem a essas questões menores de despesas miúdas. Há mais coisas podres no reino da turma da Nações. Dar um tempo para as necessárias explicações é admirável, esse tempo já passou e foi longo demais. De agora em diante passamos a interpretar como apatia ou cumplicidade. Estamos vendo a hora em que o secretário acabará por se afastar alegando que não lhe foram dadas condições de trabalho, ou seja: vai sair atirando no prefeito!