19 de nov de 2006

Coluna 1

GP BAURU 2008



Cavalo de chegada

A coluna Entrelinhas do JC de hoje traz uma série de nomes de prefeitáveis que classifica como novos e alternativos, além dos tradicionais como o do próprio prefeito e o do deputado Tobias. Só esquece de dois ou três que ainda podem "dar um caldo" e de um fenômeno eleitoral que pode explodir na eleição municipal que é Rodrigo Agostinho. Será que foi barriga ou o esquecimento foi proposital? Há muitos que não pagam nem placê querendo Rodrigo como vice para crescer nas costas dele.



Reeleição

Quem lembra de quando Lula estava sob vareio e que o (ex) senador Bornhausen disse que ficaria livre dessa racinha, não pode nunca deixar de levar em consideração a recondução de Tuga ao Palácio das Cerejeiras. Basta que seus amigos Lula e Serra dêem uma ajudazinha e pronto, já está Tuga lá em cima nas pesquisas. O que consta, no entanto, é que está muito difícil fazer o prefeito pensar na reeleição, mesmo os mais íntimos dos apoiadores não conseguem nem um sinal de avante. Não conseguem nem mesmo fazer com que Tuga se livre de alguns secretários que só trazem problemas. Tuga não está fora do páreo, mas parece que está querendo a aposentadoria mesmo. Não podemos esquecer também que Tuga, que completa o maior tempo à frente do executivo bauruense e é o único que poderia ter a "Tríplice Coroa", tem trânsito livre, pode ingressar no partido do Serra ou no PT sem resistência.




Embolado

Corre no primeiro bolo um jóquei diferente, de fala estranha e montado num animal exótico mas corredor veloz. O tal, o jóquei, é bom de voto; o problema é sua equipe que está cheia de outros que querem disputar o páreo.



Camelo?

Meu pai dizia para nunca duvidar de um homem que "amunta em camelo". Dizia também para nunca confiar no mesmo. O fato é que o jóquei de camelo corre sempre em mais velocidade e numa prova de média ou longa distância é favorito. O nosso deputado Tobias é, portanto, o maior interessado em que a campanha comece já.


Ou dromedário?

De qualquer forma ele é um candidato muito forte e poderá vir a sair, conforme já disse outro dia, caso não tenha muito espaço no governo Serra. E, para abrir logo o jogo, Serra vai fazer o que o ocupante do Palácio das Cerejeiras pedir, ou seja: Tobias vai dançar conforme a música de Tuga. Outra coisa que poderá fazer com que Tobias não dispute é o fator "filhinho da mamãe", dona Olga disse que o camelo é do menino mimado e pronto, será que Boutros ousa discordar?





Correndo por fora

Temos ainda um potro sem raça mas de carreira, pode surpreender se estiver bem montado. Trata-se do ex-prefeito e presidiário Izzo Filho. O pangaré é brigador e, embora esteja ainda destreinado pelos anos em que ficou preso numa baia comum, tem muita gente que aposta nele.


Cavalo louco

Em qualquer páreo pode surgir um "potro loco" e bater todos os demais ou de pura surpresa ou por queimar a largada, ou ainda por estar dopado. Há vários pré candidatos que só viriam a ganhar o GP nessa condição, citar um por um seria cansativo e exigiria muita concentração para lembrar todos seus nomes.



Muita alfafa

Não podemos esquecer que já houve um páreo em Bauru que foi vencido a custa de alfafa importada, lembram? Alfafa da Barra. Veio aos montes mas depois custou caro para todos nós.




Pastando

Há um monte de burrinhos e jegues pastando calmamente como quem não quer nada, mas é só jogar a sela em cima que já empinam a bunda e começam a querer trotar. São vereadores e ex vereadores, presidentes de partidecos, empresários da fé e freqüentadores do jet set bauruense, seja lá o que isso queira dizer.




Enquanto isso...
Há os burricos empacados

Será que o PFL não vai investir em alguns candidatos no interior? Temos um aqui em Bauru que até tem pista própria, da Hípica, para treinar sozinho. Mas o bicho é canela dura e é duro de carregar, hoje está mais do que empacado, porém pode sair correndo desembestado a qualquer momento...




Um comentário:

Paulo José disse...

Na verdade ainda há vários no páreo: Tuga, Pedro Tobias, Rodrigo, alguém do PT, o próprio Caio Coube, além dos que estão surgindo, como o presidente do DAE, Clemente, e outros que querem surgir a qualquer preço, como o vereador tucano-mirim Marcelo Borges. A coisa vai se afunilar quando os partidos começarem a sentir suas chances reais. Aí o PSDB, por exemplo, não vai permitir que a legenda corra o risco de um fiasco monumental lançando algum desses vereadores quase que inexpressíveis. Bauru não é mais uma corrutela onde isso poderia acontecer.