7 de mar de 2007

Próximos movimentos:

A se confirmarem os boatos, o prefeito abúlico vai devolver o Beiçola para a Câmara, mas vai impor a todos nós o homem de nome plural no DAE.

A operação tem que ser casada, pois se o nome do dito cujo fosse votado agora, seria vetado. Com a volta do cunhado de confiança e com o Alex sob o tacão do retorno do Rodrigo, pode ser até que o nome seja aprovado, mas mesmo assim será muito difícil e custará muito esforço. Com o Beiçola no comando, a operação pode redundar em fracasso; ele é tremendo de um pé frio, vide a operação presidência.

Alguém deveria avisar o prefeito e convencê-lo de que não vale à pena essa operação de alto risco. Será que ele tem que pagar alguma promessa? É só avisá-lo também que em Aparecida do Taboado (MS) tem um padre que aprova trocas de promessas; a não ser que a promessa envolva dinheiro (será o caso?), pode ser trocada por outra, que o padre abençoa. Não precisa nem de ir até lá, é só mandar o próprio ex chefe de gabinete levar um ofício assinado solicitando a alteração.

Dizem que o padre analisa e, conforme a dificuldade, chega até a permitir o cancelamento das promessas. Não seria o caso de o prefeito pedir logo que todas as promessas que fez em palanque fossem revistas? Vai que o padre entende as dificuldades e libera algumas, ou várias, fica mais fácil de enfrentar a imprensa, os vereadores e o povo na rua.

O que não dá para entender nessas prováveis mudanças são os argumentos: o Beiçola não vai voltar para se defender, como todos chegamos a pensar; não, vai para, segundo ele próprio, "divulgar as obras do prefeito". A Câmara é o local apropriado para isso? Esse Beiçudo tem cada uma! Está sendo investigado por excesso de propaganda e vem logo dizendo que vai fazer mais ainda! Quem vai pagar o Atalho dessa vez?

Dizem que para colocar o ex chefe de gabinete no DAE, o prefeito abúlico usa o argumento de que "ele é fiel". Ora, e o que nós temos a ver com isso? Não é por que o sujeito é fiel que é competente! O Izzo também tinha muitos fiéis. O próprio Izzo era fiel ao prefeito abúlico. E vice versa! Deu no que deu!

Para manter o secretário esquisito à frente da Cultura, então, o prefeito tem uma pérola: "ele não tem para onde ir". Essa é demais! Novamente, o que temos a ver com isso? Por conta desse "compromisso" o prefeito abúlico permite e coonesta o "Golpe do Carnaval", a "Arapuca Rouanet"! Vai dizer que não sabe quem são os envolvidos, os sócios de seu secretário esquisitão? Não sabe que o trio é do barulho? E do baralho?

Os próximos movimentos do prefeito abúlico são difíceis de serem previstos, só dá para garantir que ele vai demorar um pouco para anunciar qualquer medida, pois parece estar estafado. Outra coisa: qualquer anúncio virá depois do almoço, de preferência depois das quatro da tarde, quando já estiver totalmente desperto e de banho tomado.

Outra coisa que quase dá para garantir, é que fará besteira. Tem feito uma atrás da outra!

Nenhum comentário: