10 de fev de 2007

Ninguém me ama,

Ninguém me quer,
Ninguém me chama,
De Baudelaire.


Ninguém me ama

Ninguém me ama, ninguém me quer
Ninguém me chama de meu amor
A vida passa, e eu sem ninguém
E quem me abraça não me quer bem

Vim pela noite tão longa de fracasso em fracasso
E hoje descrente de tudo me resta o cansaço
Cansaço da vida, cansaço de mim
Velhice chegando e eu chegando ao fim

(Antônio Maria e Fernando Lobo)

Nenhum comentário: