24 de fev de 2007

Dessa eu desconfio!

Não quero correr o risco de achar que o Beiçola defendeu quem quer que seja sem ter sido de caso pensado. Isso é estratégia de defesa e, se ele pode até mentir em defesa própria, que dirá de defender alguém, que se tiver alguma culpa, terá sempre culpa bem menor que a dele mesmo?

Claro que, se assim não o fizesse, criaria mais uma aresta para si próprio. E com a palavra de quem já não teria mais o que perder, o depoimento deste que hoje isenta, seria quase uma bomba no colo de quem cometeu aquilo que está declarado, gravado e degravado.

O cunhado de confiança não faria aquilo que está declarado que fez? Essa é a questão!

Claro que faria, pois não é ele mesmo que, embora vereador, deixa o cargo para o qual foi eleito para usar outro cargo como vitrine de sua tresloucada vontade de ser prefeito? Isso já não é a mesma coisa?

Não é ele, pé frio, que volta à Câmara somente para alterar um voto e tentar atrelar o Legislativo ao Executivo, para tentar pavimentar sua campanha a prefeito? Isso não demonstra do que é capaz?

Não demorará muito para sabermos qual é sua estratégia, não demorará muito para assistirmos os próximos atos dessa opereta mal ensaiada. Ainda não sabemos quem será a vítima, mas o mordomo já temos. Quando ele der a beiçada final, não digam que eu não avisei!

Há muitas cascas de banana nos caminhos que o cunhado de confiança tem pela frente; na hora que escorregar e perder o equilíbrio, podem apostar: se for o caso, arrasta até o prefeito com ele.

Por enquanto ele ainda está se mantendo de pé, quero ver no momento em que o conteúdo da gravação se tornar público, que algum vereador exibir as matérias do Atalho, que houver acareações, aí sim a porca vai torcer o rabo! Nessa hora vamos entender por que ele aliviou o lado do Fio.

Um comentário:

Outro disse...

Caro Broo,

num é pra comentar o texto mas, sim, esses caracter que vc colocou no logo. Parece influência do Bambão!