8 de dez de 2006

Comentando um comentário

Recebi um comentário (leia) sobre minhas considerações a respeito do presidente do DAE, o tal que está sob suspeita de dar "uma ajudinha" para respeitado órgão de imprensa sem limites. Foi um comentário educado, vou responder por respeitar o que pensa o autor.

Curto e grosso.

Ele pergunta se não acho que é cedo para concluir que o referido está envolvido. Respondo que não, eu já estou convencido que está.

Mas explico.

Ele, o presidente do DAE, tem o benefício da dúvida e, provavelmente, nada vão provar contra sobre sua pessoa. Mas, assim como estou convencido que os sanguessugas tiveram seu auge no governo FHC, estou convencido que há algo de muito podre nessa história da qual a fita é somente uma pequena mostra. Também estou convencido de que nada será comprovado dessas histórias escabrosas.

Não acredito, quem quiser que acredite, que pessoas como ele, tenham interesses nobres na atividade política. Outras pessoas, com outro perfil, sei que têm, até há bem pouco tempo incluia o prefeito Tuga entre estas. Gasparini era assim, seu filho Júnior também o é, só para citar alguns nomes.

Não tenho nada contra o tal, nem acho que o que fez seja muito diferente do que fizeram tantos outros, e aí é que está, ele não é diferente, sua única diferença é querer parecer diferente, e pagar para a imprensa divulgar sua alegada diferença, e pagar com dinheiro que não é seu.

Eu acredito naquilo que disse a jornalista Inês Ferreira, e não é por querer acreditar, sinto que o que ela afirma é verdadeiro. Será a palavra dela, gravada e filmada, contra a palavra de quem quiser negar o que ela disse. Só faltava aqueles que ela envolveu virem a público confirmar que o que ela diz é verdade. Alguém imagina que isso possa acontecer? E alguém imagina que a jornalista inventaria essa história? Com que intenção? Então por que não falou logo que foi o prefeito que arrumou quem pagasse pelo serviço prestado?

E o presidente do DAE, que eu acho que pagou mesmo o jornal, com dinheiro que não era seu, terá que usar os serviços de um advogado, mesmo que só para fazer parecer que não pagou, e, provavelmente, pagará novamente com dinheiro que não é seu, pois usará o departamento jurídico da empresa. Vou ficar atento e denunciar.

É assim que vejo. Não sei se soube me fazer entender.

E tem mais: de agora em diante, enquanto não for trocada a administração do DAE, não vou mais pagar as contas de água e esgoto, e nem recolher IPTU e IPVA. Posso até depositar em juízo, vou estudar como, mas não vou deixar que pessoas sob suspeita administrem o dinheiro que pago à municipalidade. Pago tudo depois que o prefeito mostrar que tem pulso e rigor ético e substituir os suspeitos, ou os suspeitos colocarem a jornalista na cadeia por falsa acusação, por calúnia, injúria ou difamação, sei lá qual.

3 comentários:

Felipe disse...

Da mesma forma que você respeita minha opiniao, respeito a sua também.

Realmente nao chegaremos a um acordo. Pensamos de forma muito diferente sore isso.

O que me preocupa é que geralmente os instrumentos da mídia fritam o acusado... e nos casos em que a ausacao nao era verdadeira, o "pobre" inocente fica lá... sem nenhuma credibildade mais.

Se ele realmente estiver envolvido, que sofra uma punicao justa. Mas se nao estiver, espero que o seu blog e outros órgaos da mídia corrijam a informacao.

Espero que, mesmo com opinioes contrastantes, tenhamos um mesmo objetivo: melhorar Bauru.

Agradeco por ter respondido. Discussoes assim sao importantes.

chineloneles disse...

Em minha modesta opinião, a máscara de Clemente Resende começa a cair. A arrogancia e a soberbia irão aparecer com nitidez absoluta.É um falso moralista, um verdadeiro lobo em pele de cordeiro!

Ferreira disse...

Se alguém souber que me conte, mas de onde surgiu na política esse papagaio de pirata? Não me lembro dele de antes. Ele era do MDB ou da Arena?