24 de jan de 2007

Inês é viva!

Está comprovado: Inês Ferreira é viva! Matou a cobra e agora mostraram o pau.

O cunhado de confiança balangou o beiço de novo, deve ter feito beicinho de choro, e disse que não tem nada a dizer pois não conhecer o laudo. Que desculpa esfarrapada! Com laudo ou sem laudo, ele já devia ter dado sua versão há muito tempo. Sim, versão, pois não há quem acredite que vá dizer a verdade.

Inês está viva! E o cunhado de confiança está morto, moralmente morto.

O laudo técnico era somente para comprovar se a voz era dela mesma, e é. O cunhado de confiança, o boca mole, não precisava nem esperar o laudo para trazer a público sua versão. Já devia ter inventado logo uma desculpa, pedir o chapéu e voltar para a Câmara para se defender.

Mas não, ele não está nem aí com a batatinha. Que arda no prefeito abúlico, ele que se estrepe; o cunhado agarrou no cargo e não vai largar tão fácil. O homem parece que se apaixonou pelo poder! E o narcisista ainda mandou publicar matérias favoráveis à sua gestão no órgão que ganhou para brincar de administrador público.

Acho que bateu o desespero no boca mole, ele quer ser candidato a prefeito de qualquer forma. Talvez seja mesmo o momento certo: os políticos vão ficar de tal forma mal vistos depois dessa desastrosa administração abúlica que até ele, ou o secretário esquisito, ou outro qualquer, pode ter chance.

A agenda do boca mole é muito fácil de adivinhar: quer permanecer onde está para poder ficar em evidência, mesmo que tenha que pagar a "imprensa sem limites", e continuar longe da câmara, onde teria que enfrentar muitas feras. Prefere se esconder atrás do prefeito abúlico e deixar que este seja queimado o tempo todo; mata dois coelhos de uma só paulada: sai da fogueira e ajuda a torrar o prefeito.

O perna bamba nem disfarça, só dá ele! Vai, como se diz, até em aniversário de boneca. Parece aquela mulher da novela, que dizia: "Cada mergulho, um flash...". Só que os flashs que são apontados para ele têm custo, e não é pouco...

Mas ele vai ter que explicar quem são esses seus "amigos do peito", lembram dos amigos do Figueiredo? E como, e quanto, e porque pagam esses seus desejos malucos de aparecer na mídia.

Ao cunhado de confiança não basta ser boca mole, tem que parecer não sê-lo.

Um comentário:

Anônimo disse...

E tem mais, caro Bruno. Distribuia, todo mês, um jornalzinho chamado Atitude, com fotos dele e do abúlico, contrariando a Constituição Federal.