29 de jan de 2007

Babando e andando

Babando e andando

Tarcísio Matos
02/12/2006 15:35


Babar ao dormir até que nem. Mas acordado, e daquele tanto e com tamanha freqüência, só mesmo Ciço Babão! Ciço é "baborrágico". Não consegue dar um stop na mucosidade que escorre da boca - na dor e na alegria.

Já vi aguaceiro descer pela boca daquele macho, caindo do beiço mole aos borbotões, ao ouvir propaganda gratuita do TRE. Ciço enche bacia, na dormida da noite, e o mundo todo pensa que é uma usina.

Interou 29 anos e não justifica mais a mãe, Deodata, acreditar que a indomável babação filial é do nascimento de dentes. O bichim não teria coordenação pra deglutir a quantidade de saliva produzida.

Acontece que mãe é outra alegria, e Ciço não baba, saliva. Salivação excessiva. Seria causa o desenvolvimento neurológico e bucal de Cicinho?

- Do que sei, ele tacava o dedo na boca sempre que via alma, quando bruguelo. Isso deve ter ficado aqui lá nele - justifica a genitora.

E aí ele baba no banho, no sexo, na comunhão do padre, ao obrar. Baba por babar. Deodata jura que não é problema de saúde. Deve então ser de doença, pois Ciço quer cura. Caçou otorrinolaringologistas, fonoaudiólogos, psicólogos...

Aftas, beliscões, fimose mal resolvida e refluxo gastroesofágico estimulariam a produção da saliva. Nada, porém, de se encontrar a causa da caudal babante. Há quem arrisque palpite maledicente: ainda hoje ele dorme na rede com a mãe.

Diante do quadro, decidiram radicalizar: Deodata trancou a boca de Ciço com dois rolos de fita gomada. Foi pela manhã isso. À noite, não tendo a baba por onde escapulir, o menino chorou lágrima viscosa na fronha...



http://www.opovo.com.br/opovo/colunas/aosvivos/652428.html

Nenhum comentário: