17 de jan de 2007

Que férias que nada!

Fico feliz por saber que minha ausência é lamentada por alguns, mas fico triste por não poder mais estar tão presente quanto antes.

Não tirei férias não! Não pude sequer molhar a lefa nas águas do Batalha, quanto mais ir a Bertioga, como foram alguns afortunados como os conhecidos preguiçosos, o prefeito abúlico e seu assessor de turismo.

Enfiei o pé na lama, tenho lavado chiqueiros, vacinei recentemente uma porcada grande, estou construindo um defumador e uma sala de manipulação para fazer lingüiças e embutidos caseiros, enfim, virei um pequeno produtor rural, do tipo daqueles que a prefeitura de Bauru vai abandonar ao relento, só que em Arealva, em terra herdada, pois não acumulei na vida o que desse para comprar nem um "alqueiro", que é como alguns falam por aqui.

Fico triste por estar um pouco ausente do "fervo" da política de Bauru, política essa que está passando dos limites e que vem limitando nossa terra.

Mas fico feliz por não ter mais muito o que pensar a respeito, dei-me ao respeito e não posso mais me ocupar de comentar as ações desses que só têm trazido decepções a todos nós.

Agora, depois do almoço, vou voltar ao sítio. Trabalho até ao anoitecer e vou logo dormir, pois tenho que acordar de madrugada. Não tenho nenhuma Lei Rouanet para me locupletar, nem quero, não sou de roubar...

Nenhum comentário: